quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Você está em minhas veias e eu não consigo te tirar





Conforme os dias vão passando
Um pedaço da minha janela escurece
Já não vejo o que há lá fora
Se está sol, frio ou abafado.
A mobília está inacabada
Pois deixei de construir tudo aquilo que sonhei
Por falta de vontade me abandonei
Porque sensível.
Dói dizer
E pensar.
Naquilo que me fez esmorecer
Ou talvez no que me levou a afundar
Sem colete salva vidas eu me deixei levar
Pois fiquei em pedaços
E sem saber para onde ir
Deixei o mar me levar
E ele levou...
Para esse novo lugar
Onde eu, talvez, pudesse me encontrar
Mas, a doença dos meus dias me achou lá
Colocou-me de castigo
E mandou que eu não falasse um Á.
Quando ela, enfim saiu, eu não consegui olhar para trás.
A janela foi escurecendo com a poeira
E assim, deixei de ver.
Me ver.
Quando abro os olhos, eu nem me reconheço mais.

‘Se alguém encontrou um sentido para a vida... Chorou. ’



Igor Gonçalves

terça-feira, 15 de março de 2016

Totalidade inumerável



Posso te dizer que por você quero me apaixonar?
Seus olhos verdes chamam meu amor para dançar
Há dias eu que penso que a saudade vai me abater
E olho suas fotos para tentar me conter.

Seu toque, os seus beijos são como as belas canções
De artistas renomados que alegraram mais de dez gerações
Às vezes toco em sua pele e não quero soltar
Desse amor que me consome e me faz continuar.

O jogo não acaba e eu preciso ganhar
A lógica de uma fênix é renascer para depois brilhar
Meu amor por você é tão doce que posso até orgulhar
De ter achado tudo aquilo que me faz vibrar.

Sua vida me ensina aquilo que preciso viver
Suas histórias completam as páginas que não sei escrever
E depois de tanto tempo meus olhos continuam a brilhar
Pois o romance ainda continua a me agraciar.

De tudo que está ao meu alcance deixo meu coração na alma
Para que ao seu lado possa manter minha calma
Calma que ao seu lado é composta do amor
Do amor que te amo tanto
Dessa festa tão intensa
Que cresce junto ao seu encanto.


Igor Gonçalves

O errado está marcado



Raro é achar que a mente pode fantasiar
Com melhorias que nos fazem acreditar
Que tudo vale a pena quando você se esforçar
Esforço esquecido e guardado em outro lugar.

Tem dias que a vida fica fácil de não entender
Há horas que eu quero apenas é permanecer
Calado em meu canto dormindo para não pensar
Em tudo que me aflige e me faz ficar fora do ar.

A rapidez e sensatez ninguém desfez
Horário está errado, estou marcado
Cicatrizes que se recusam em curar
Tem vezes que penso até em me exilar.

Apenas gostaria de poder entender
O que me impede de ascender
Se todos que me cercam conseguem enxergar
Por que minha vista é turva ao me admirar?

Se tudo está difícil é melhor se esforçar
Abro a gaveta, procuro e não consigo achar.
Alguém em meu ombro poderia tocar
Dizer que tudo aquilo um dia vai passar
Um grito desespero
Destempero
Que tira o sabor
De tudo aquilo que eu não sei lidar.

Igor Gonçalves

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A calma passa pelo vão da janela

-

Minha alma arrefece
Finge que esquece
Mas quando anoitece
Procuro prece.

Prece para ter pressa
De salvar aquilo que se construiu
De tudo que está por um fio
Faço nós para não me afogar no rio.

Mordo minha angustia
Para acalmar a fome do viver
O gosto amargo arde em meu peito
E muitas vezes, nem sei o que fazer.

Às vezes acho que não vai passar
O céu é escuro e não quer clarear
Não saber lidar, é admitir fracassar
Mesmo sabendo que tudo, volta ao seu lugar.

Mas, de que me adianta ficar em paz?
Se outrora nada faz
Mundo cruel e violento
Astuto demais para o momento.

Que não fique assim
Que tudo tenha fim
Que a esperança surja em mim.


Igor Gonçalves

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Zepelim



Fico preso em uma teia
Meus olhos cheios de areia
Transverso por aí pensando:
Maldito Zepelim!
Observo os açudes
As pessoas são tão rudes
Queria voltar:
Pro maldito Zepelim!
Antes de cair eu era
A flor morta de uma primavera
Floresci em céus gigantes
Caí do Zepelim!
Viajava para ver ela
Minha amada a minha espera
Mas fui interrompido
Pelo Zepelim!
Tudo que está porvir
É simples de repetir
Coisas voam pelo céu
E acertam o Zepelim.
Caem de um lugar bem alto
Parece até o Planalto
Mas não era nada disso
É só meu Zepelim!
Que já faz muito sucesso
De mais novos aos mais velhos
Querem apenas conhecer
O que me fez esmorecer.
Dizem que foi o tal do mundo
Quando falam, mudo de assunto
Queria apenas voar
Com meu velho Zepelim.


 Igor Gonçalves

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Alma Enjaulada




Eu só queria falar aquilo que minha mente tenta esconder
O fechar dos meus olhos revela todas as angustias
Que insistem em não desaparecer.
Eu só queria ser livre e como um pássaro voar
A gaiola está fechada, e ninguém vai me soltar.
Os dias passam e ninguém quer enxergar
Que estou me ferindo gradativamente
E, internamente, não paro de sangrar.

Já me transformei em melro na calada da noite
Espero a luz abaixar para me acostumar
Meu ar soturno me agride com um acoite
Que faz minha pele gritar sem que alguém possa escutar.

As estrelas observam aflitas sem saber o que fazer
Muitas rezas são feitas
E não aparece ninguém para atender.
Esconder
A dor que corta na alma
Tira minha calma
Faz-me jogar a toalha.

Eu só queria voar
E não ter que aceitar
A batalha é travada, e ninguém me deixa ganhar.

Terei que ir embora
Para longe
Assim, quem sabe, eu ache meu lugar.


Igor Gonçalves

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Registro Permanente

Amar é ser inadimplente
Não respeitar o contrato que assinou
Apaixonar-se loucamente
É florescer aquilo que se enterrou.

Assinar dois nomes é a condição
Necessária e suficiente para continuar
O escritor sabe viver realidade e ficção
Mas não aprendeu como se deixa de amar.

O meu olhar está por trás da porta
Consigo enxergar gente viva e gente morta
Viva pelos sentimentos que a vida nos dá
Morta pela falta do que acabei de falar.

Não é necessário estar no caixão para aprender
Que qualquer um que sinta, pode escrever.
De todos os meus erros e buracos nessas estrofes mal faladas,
Sou o livre escritor na pele de uma alma apaixonada.

Dizem que querer é o mesmo que poder
Eu digo que ELA é o mesmo que Romance.
Eu digo que ELA é aquilo nunca visto antes
Eu digo que ELA é a cor do meu céu brilhante.

Igor Gonçalves